Arquivo de Yôga

Yôga nas Escolas (Yôga para Crianças) do Pré – 8ª série

Objetivos: Através de uma brincadeira propiciar uma vivência de yoga trabalhando com foco na coluna, na postura do corpo, estimulando o cuidado do corpo e da mente.
Conteúdo: O que é a coluna, como ela é e para que serve; as fases da vida humana; a importância de cuidar do corpo e da mente.
Atividade: Prática de Yoga através de uma brincadeira
Desenvolvimento: Iniciar a aula com todos sentados em roda, fazer alguns exercícios de respiração, aquecimento do pescoço, ombros, som da abelha e o mantra om.
Em seguida perguntar ao grupo se eles sabem onde fica a coluna, como ela é, para quê ela serve. Ouvir as respostas do grupo.
Em seguida o educador deve explicar a mostrar onde fica a coluna, que ela começa lá em baixo no bumbum e vai até a cabeça, que ela é nossa principal sustentação e que precisamos cuidar muito bem dela, pois ela nos acompanhará durante toda a vida. Explicar que a melhor forma de cuidarmos dela é cuidando da postura, da forma como andamos, sentamos e claro fazendo bastante yoga. (Essa explicação não deve se alongar muito).
Pedir então para que todos virem para o lado esquerdo, sentado um de costas para o outro. Vamos procurar a coluna do amigo, e com cuidado vamos sentindo como ela é, o tamanho dela, seu começo e final, seus vários ossos (vértebras).
Propor alguns movimentos suaves de massagem e ativação, sempre com respeito ao corpo do colega e sem violência.
Em seguida cada um volta para o seu mat, vamos então sentir a nossa própria coluna? Vamos ficar na ponta do mat, sentados, com as pernas dobradas coladas no tronco, colocar as mãos embaixo dos joelhos e vamos rolar para trás, como um barco que balança no mar, vai e volta, solta o ar e puxa o ar indo e voltando por algumas vezes. Pergunte ao grupo se eles conseguem sentir os próprios ossinhos da coluna passando pelo chão e sendo massageados.
Depois de aquecida a coluna vamos iniciar uma brincadeira.
Siga o mestre
O educador deverá conduzir, em roda o grupo todo deve imitá-lo.
Agora todos nós voltamos a ser crianças, bebezinhos bem pequenos, daqueles que ainda nem aprendeu engatinhar (todos deitam), que movimentos bebezinhos fazem? Explorar os movimentos sugeridos pelas crianças.
Agora devagar vamos aprendendo a engatinhar, rolar de um lado para o outro, engatinhar para frente e para trás.
E depois? O que acontece? Aprendemos devagar a andar, algumas vezes caímos, mas sempre levantamos e tentamos de novo, a coluna vai ficando mais forte e agora já pode sustentar corpo, e nós conseguimos correr, pular, pular de um pé só, andar de lado, de frente e para trás, trotar como cavalos, vamos crescendo…
Depois vem a adolescência, onde temos bastante energia para praticar esportes, dançar, estudar…e depois adultos onde temos muitas responsabilidades, trabalhos, e por isso precisamos praticar muito yoga para não ficarmos cansados e sempre termos o corpo saudável. (Propor alguns asanas)
E depois de adultos o que acontece com agente? Ficamos velhinhos!
Se não cuidarmos do nosso corpo e da nossa mente, como ficaremos? (Imitar um velhinho, coluna curvada, bengala), mas e se cuidarmos? Podemos ter um corpo bem legal?
Terminar perguntando ao grupo como eles querem ser quando crescer e como estão cuidando do corpo para que fiquem saudáveis e produtivos por mais tempo.
Terminar a brincadeira e propor que todos deitem, cada um em seu mat, fechando os olhos, respirando profundamente. Sentir a coluna descansando no chão, imaginar um sol bem bonito, da cor que quiser, e com a respiração vamos levando a energia do sol para nosso corpo, trazendo energia e saúde.
Finalizar com uma avaliação, perguntando ao grupo o que acharam da aula, como irão cuidar do corpo a partir de agora. Se houver abertura e disposição do grupo o professor pode relacionar a postura do corpo com as emoções que sentimos. Quando estamos alegres ficamos mais ativos, pulamos, corremos, ficamos mais retos; quando estamos tristes queremos ficar encolhidos, quietos, sem falar com ninguém, quando estamos com raiva, com vontade de brigar estufamos o peito, ficamos tão impulsivos que nem percebemos o que estamos fazendo. Com o tempo nosso corpo se acostuma com nosso comportamento e vai assumindo as posturas.
Por isso também precisamos cuidar da nossa mente, da forma como nos comportamos além do corpo.
Ganhos: Conhecimento do próprio corpo e de como mantê-lo saudável.

Shiva Hara Studio Curitiba

Rua Teixeira Soares, 320 - Tel: 41 3077-3277

Salve Meus Queridos!

É com muita alegria que trazemos esta notícia! Shiva Hara Studio Curitiba, consolidação de um trabalho, estudo e dedicação ao Yoga e a sua essência.

Gratidão ao Prof. Mauricio Cocco, Marcia Cocco, toda moçada que está no grupo Sádhana Yoga, todos os alunos Mestres que já participaram das nossas aulas.

Por enquanto estamos funcionando em 2 horários: Terças e Quintas pela Manhã 08:30 – 09:30 e 18:00 – 19:00. Em breve novos horários, atividades, cursos e a nossa inauguração.

Gratidão, luz e paz a todos.

Prof. Silvio Lopes

Todo DOMINGOM gratuito: Mantras, Yôga, Meditação, Leitura dos decretos, Roda de cura

Todo domingo 20h30 às 22h00 no Shiva Hara Studio, Garopaba, Praia da Ferrugem

Play Mantra

Aulas Gratuitas de Yôga no Parque Barigui – Começou!

Olá pessoal,

Segue o ponto de encontro no parque e o vídeo de apresentação das aulas.

Gratidão,
Silvio Lopes

Parque Barigui

Pújá

Pújá (em Devanagari : पूजा) – alternativa transliteração Pooja em sânscrito (reverência, honra, adoração ou culto)

Esta é a tradução e transliteração de uma “técnica” que está inserida na prática de yôga, digo “técnica” porque a nossa cultura não está muito acostumada a palavras como reverência e honra, já adoração e culto remetem a outras coisas que não vem ao caso.

O Pújá é praticado na Índia como honra as divindades, agradecendo pelas dádivas alcançadas, pela cura ou alcance de objetivos. O Pújá é praticado quando se chega à casa de alguém para abençoar esta visita e geralmente a visita leva um pújá, flores, incenso ou um presente que simbolize a gratidão de quem ali o recebe.

Diariamente é praticado nas casas das pessoas em agradecimento ao lar e a vida de uma forma natural.

O Pújá tem uma energia condutora que se chama Sankalpa e quer dizer “resolução”, “livre arbítrio” e “imaginação” está ligada diretamente com a nossa intenção. Ou seja aquilo que de melhor você cultiva no seu interno, que não é só para ser usado “de vez em quando” e sim uma atitude permanente do bem, do pensamento mais elevado e positivo. Quando se tem a noção de Sankalpa nos livramos do ego condicionado, do orgulho e da possessividade.

Pratique a sua intenção Sankalpa com a força do Pújá em todas as situações da sua vida, manifeste o bem, o positivo em tudo o que você fizer, no lugar onde você leva a sua presença, no seu relacionamento, na sua família, nas coisas que você quer que aconteça enfim crie um pensamento virtuoso e o espalhe onde estiver.

Fica aqui o meu Pújá com muito carinho.

Luz e Paz.

Silvio Lopes

A Prática de Yôga!

Namastê alunos, amigos e quem chega através da energia do Yôga ao nosso portal. Dez anos se passaram desde o meu primeiro contato com a filosofia do Yôga e desde então uma forte chama se ascendeu no meu interno.

O Yôga é dinâmico, transformador, desafiador, o Yôga acalenta, traz paz, manifesta conhecimento. Nestes dez anos comemorados com muita alegria em 2010 destaco a disciplina de prática como ponto forte para ter contato com todas estas transformações.

A prática é a sua ligação direta com o momento presente, uma grande oportunidade de se libertar de pensamentos indesejáveis e emoções desnecessárias, na correria que estamos no dia de hoje, nada melhor que proporcionar este equilíbrio consciente ao seu corpo e mente.

Respirar, cuidar de si, exaltando os melhores sentimentos que habitam a sua integridade, é a melhor forma de evoluir como “Ser Humano” e irradiar esta força a tudo que está há sua volta.

Com estas palavras inauguro a minha coluna no site do Sádhana Yôga e que venham mais 10, 20, 30, 100 anos de Yôga.

Om Shanti

Silvio Lopes
Professor de Yôga
silvio@sadhanayoga.com.br

Chakras

O que são os chakras?

Chakras são nossos centros etéricos de consciência e comunicação.

Chakra é uma palavra em sânscrito que significa circulo e movimento. A energia nos chakras é percebida como vórtice, que é a força física mais poderosa na natureza. É através dos chakras que nos relacionamos com o mundo exterior, captamos e absorvemos energia. Essa força existe em eventos tais como, tornados e furacões, etc.

O funcionamento de todo o corpo humano é controlado pelo sistema cérebro espinhal, e, os centros psíquicos localizam-se nele. Chakras são esses centros psíquicos.

É através desses centros de energia que os seres humanos recebem e transmitem sua energia magnética e alimentam seu corpo energético que sustenta o seu corpo físico.

Existem 7 templos sagrados no mundo astral ligados aos elementos cósmicos que nos conectamos magneticamente a eles por meio de nossos 7 principais chakras.

De acordo com o Yôga, os principais chakras são:

1 – Múládhára Chakra (Bíja LAM) – “múla” significa: raíz e “dhára” significa: suporte e sustentação. Portanto, significa chakra raiz ou básico, está relacionado ao nível físico, à realidade do mundo material. Múládhára Chakra localiza-se na base da coluna vertebral, na região do períneo, entre os genitais e ânus, e corresponde às glândulas endócrinas supra renais e ao plexo nervoso autônomo coccíneo.

O elemento é: terra
A nota musical é:
A cor é: vermelha
E o mantra: LAM

2 – Swádhisthána Chakra (Bíja VAM) – Suporte do sopro da vida. Esse chakra é também chamado centro sexual, ele está ligado ao nível instintivo e se caracteriza pela noção de fluidez. Localiza-se nas glândulas endócrinas sexuais e ao plexo nervoso sacro.

O elemento é: água
A nota musical é:
A cor é: laranja
E o mantra: VAM

3 – Manipura Chakra (Bíja RAM) – “mani” significa: jóia, e “pura” significa: cidade. Este chakra é também denominado centro Epigástrico. Ele está relacionado ao nível emocional e suas características são a expansão e o calor.

O elemento é: fogo
A nota musical é: Mi
A cor é: amarelo solar
E o mantra: RAM

4 – Anáhata Chakra (Bíja YAM) – significa o som místico e este chakra é assim chamado porque se diz que a concentração neste centro permite escutar o “Sabda Brahma”, isto é, o som primordial que surge sem o choque de dois objetos. Ele é também denominado chakra cardíaco e está relacionado ao nível afetivo, caracterizando-se pelas noções de relacionamento e simpatia. Sua localização é a região do externo, correspondendo à glândula endócrina timo e ao plexo nervoso cardíaco e pulmonar.

O elemento é: ar
A nota musical é:
A cor é: verde
E o mantra: YAM

5 – Vishuddha Chakra (Bíja HAM) – significa grande pureza, e este chakra é também denominado centro laríngeo. Ele está relacionado ao nível criativo caracterizando-se pela criatividade em todos os sentidos: artístico, intelectual ou moral e pelo desenvolvimento do conhecimento intuitivo e espiritual. Devido a este último, ele é chamado de “O Portal da Grande Liberação”. Está ligado também a verbalização dos sentimentos, emoções e sensações. Localiza-se na região da garganta, no centro do pescoço e corresponde à glândula endócrina tiróide e ao plexo nervoso laríngeo.

O elemento é: espaço
A nota musical é: Sol
A cor é: azul claro
E o mantra: HAM

6 – Ájña Chakra (Bíja OM) – é denominado centro frontal, o ponto crístico. Ele está relacionado ao nível intelectual e está ligado à consciência e a atividade mental em todas as suas formas e graus. Tem relação com o cérebro e o sistema nervoso central. Assim como com os olhos, orelhas, nariz e órgãos internos. Fica localizado na região entre os olhos e corresponde à glândula endócrina hipófise ou pituitária e ao plexo nervoso cavernoso.

O elemento é: éter
A nota musical é:
A cor é: azul marinho
E o mantra: OM

7 – Sahasrara Chakra – é chamado de Centro Superior. Ele está relacionado ao nível transcendental ou transpessoal e é assim chamado, pois neste nível o indivíduo já ultrapassou as limitações do ego e consegue viver com total consciência a plenitude do ser. Fica localizado no topo da cabeça e corresponde à glândula endócrina pineal.

A nota musical é: Si
A cor é: violeta
E o mantra: AUM